Como fazer sua empresa crescer com a análise de dados

análise de dados

A análise de dados para negócios não é um assunto novo. Cada vez mais empresas vêm utilizando ferramentas como o Business Intelligence e Big Data para se organizar, analisar seu desempenho e pautar as decisões. Esta tecnologia atua como facilitador e entrega os dados essenciais para potencializar o desempenho de cada empresa.

Essa análise pode ser feita em diversas áreas do negócio e, de forma geral, traz muitos benefícios para a empresa e para o cliente, melhorando tanto o processo operacional, como a experiência de quem consome o produto ou serviço. Neste post você vai saber como a análise de dados pode beneficiar seu negócio. Confira:

Eficaz em qualquer negócio

A análise de dados é adequada para negócios de qualquer tamanho, desde as microempresas às multinacionais podem extrair informações relevantes com poder de potencializar seu desempenho. Também é útil para as diversas áreas de uma empresa, podendo auxiliar na tomada de decisões estratégicas efetivas desde o administrativo até os setores operacionais.

Impacto real nos lucros

A detecção de problemas que podem vir a acontecer é uma das vantagens da análise de dados. Dessa forma, é possível se antecipar na resolução ou até evitar que aconteça, o que reduz prejuízos e possíveis insatisfações de clientes. Evita perdas e transtornos.

Atua também na redução de erros, tanto de funcionários, quanto de máquinas. Pode auxiliar também na otimização do tempo para o desempenho de determinados serviços e agrega confiabilidade aos mesmos, além de ajudar a diminuir desperdícios e subaproveitamentos.

Destaque no mercado

Outra vantagem da análise de dados é o conhecimento que ela proporciona do mercado no qual um negócio está inserido, contribuindo assim para um posicionamento mais eficaz e o desenvolvimento de um planejamento estratégico adequado.

Também é uma boa maneira de avaliar e modificar ou aprimorar o modelo de negócios, analisar a concorrência, prever movimentos de mercado para reagir com mais agilidade, mapear mercados promissores e definir metas precisas, mas realistas.

Melhora no atendimento aos clientes

O levantamento de informações úteis e a definição de perfis de clientes fica muito mais fácil e precisa quando feita por meio da análise dos dados. Dessa forma, é possível desenvolver produtos adequados às necessidades do seu público. Além disso, ideal para avaliar ações de maneira mais consistente, possibilitando a visualização facilitada de deficiências e erros no atendimento ou no desenvolvimento do trabalho.

Em resumo, a análise de dados utiliza seus dados para entregar informação útil sobre seu negócio e te ajudar a melhorá-lo cada vez mais, com planejamento e é amparada por informações reais e consistentes. Como você viu, é possível utilizar essa tecnologia de muitas formas diferentes. Para saber mais sobre como nossas soluções podem atender às suas necessidades, conhecer mais possibilidades e extrair o melhor dos seus dados, entre em contato conosco.

Parâmetros do Power BI

Parâmetros do Power BI

Ao desenvolver um relatório no Power BI Desktop, logo se vê necessário o uso de uma funcionalidade: a parametrização de componentes, e um exemplo a ser explorado é o caso em que se define um diretório que contenha planilhas utilizadas como fontes de dados.

Usando o método padrão de obtenção de dados (pelo caminho “Get Data” → “Excel” e escolhendo o endereço da planilha desejada), no Power Query Editor cria-se o primeiro passo da query na linguagem M, da seguinte forma (considerando que o endereço do arquivo será diferente na sua máquina):

Source = Excel.Workbook(File.Contents(“C:\Users\RaviQuast\Google Drive\QDOIS\Blog\PBI Parameters\IATA Codes Merge.xlsx”), null, true),

Pode-se predeber que o endereço é fixo se adquirido dessa maneira apenas. Seguindo o passo acima, há dois caminhos para parametrizarmos o diretório da planilha: o primeiro por meio do Power Query Editor e o segundo utilizando somente a interface do Power BI Desktop.

Para ambas as formas, utilizaremos um exemplo de relatório com uma tabela contendo nomes de aeroportos, seus códigos IATA (de 3 letras) e os países em que estão localizados, conforme pode ser verificado abaixo:

Parametrização por meio do Power Query Editor

  1. Clique em “Edit Queries” para abrir o Power Query Editor;

  1. Clique em “Manage Parameters”;

  1. Clique em “New”, à esquerda da janela, e preencha os campos como indicado. No campo “Name” escreva “Directory”, no campo “Type” selecione “Text”, em “Current Value” coloque o diretório local que contém a planilha utilizada no seu relatório e clique em OK;

  1. Clique em “Advanced Editor” com a tabela desejada selecionada;

  1. Uma janela abrirá com um código semelhante ao abaixo:

  1. Altere a linha 2 do código contendo o endereço do arquivo na sua máquina para o seguinte formato e clique em OK:

Source = Excel.Workbook(File.Contents(Directory & “\” & “IATA Codes Merge.xlsx”), null, true),

  1. Clique em “Close & Apply” no canto superior esquerdo do Power Query Editor;

  1. Clique em “Edit Queries” → “Edit Parameters”;

  1. Na janela que aparecer, mude o endereço da planilha para outro diretório com uma planilha de mesma estrutura e clique em OK;

  1. Clique em “Apply Changes”;

  1. Após carregadas as mudanças, o relatório responderá à nova fonte de dados. Note que nessa segunda planilha, há uma linha a mais no começo da tabela:

Parametrização somente por meio da interface do Power BI Desktop

  1. Clique em “Edit Queries” → “Data source settings”;

  1. Clique em “Change Source…” com a planilha desejada selecionada;

  1. Como utilizamos o projeto resultado da seção acima, a estrutura criada na linguagem M, juntamente com a criação do parâmetro “Directory”, foi replicada nessa interface de mudança de fontes de dados, e esta pode ser alterada diretamente nos campos apresentados ao selecionarmos a caixa “Advanced”:

  1. Se estivéssemos com o projeto na etapa anterior à criação do parâmetro “Directory”, encontraríamos a janela de “Change Source…” como abaixo. Note que não há caixas de seleção à esquerda dos campos de texto, como no item 3. Isso se dá ao fato de não haver nenhum parâmetro definido no projeto. Caso houvesse ao menos um, clicando nessas caixas de seleção, poderíamos alterar o tipo de informação a ser preenchida no campo de texto, inclusive o tipo “Parameter”. Poderíamos ainda criar novos parâmetros diretamente dessa tela:

Considerações finais

Os parâmetros podem ser valores digitados pelo usuário, ou, ainda, escolhidos dentre uma gama de opções definidas em uma lista no momento da criação do mesmo.

Não é difícil perceber que o uso de parâmetros se estende a muitas aplicações além da demonstrada acima. Exemplos de outras situações em que seria vantajoso o uso dessa funcionalidade são:

  • Informações do relatório são dinâmicas, mas as fontes de dados são únicas. Usando como exemplo uma planilha de fonte de dados com informações referentes a diferentes países, enquanto o relatório traz informações de um país apenas. Nesse caso, parametrizando o nome do país, poderíamos incluir o parâmetro em queries e em medidas (utilizada em um cartão, por exemplo, para exibir ao usuário do relatório, o país a que os dados apresentados se referem). Atenção ao limite de atualizações por dia dos dados de um relatório concedidos ao seu tipo de licença do Power BI (atualmente 8 por dia, por relatório, para o Power BI Pro e 48 por dia, por relatório, para o Power BI Premium), pois cada mudança no valor de um parâmetro desse tipo exige uma atualização do relatório. Caso forem avaliar dados de vários países diferentes em um mesmo dia, esse limite pode ser atingido;
  • Um mesmo valor (de qualquer tipo) é utilizado várias vezes e/ou em várias queries, medidas e colunas calculadas;
  • Uso de um valor padrão (default) em uma query, medida ou coluna calculada, mas caso o usuário queira usar um valor diferente, ele pode inseri-lo em um parâmetro.